Grupo Recuperando Vida

Internação Involuntária para Alcoólatras

A internação involuntária para alcoólatras é legal, traz resultados positivos SIM e é uma alternativa de extrema importância para o tratamento do alcoolismo.

Ao contrário do que muita gente pensa, o tratamento involuntário para alcoólatras tem funcionado para a reabilitação de diversos alcoólicos e colabora para a restituição familiar e ressocialização de milhares de pessoas.

Assim como no exemplo do tratamento involuntário bem sucedido de um ex-paciente da clínica de reabilitação para alcoólatras do Grupo Recuperando Vida, o ex-paciente J.C.M.

J.C.M, 54 anos, alcoólico com fracassos em outros tipos de tratamento para alcoolismo e grave prejuizo psicossocial.

Desta forma, a internação involuntária para alcoólatras foi pedida pela família com o auxílio do Grupo Recuperando Vida.

Além disso, J.C.M estava há um grande período em depressão e alcoolizado na maior parte do tempo, sem controle sobre o álcool.

O paciente era totalemente contra a internação para alcoólatras. Num período de 90 dias, o paciente apresentou melhorias significativas e aderiu  ao tratamento do alcoolismo, reconhecendo a necessidade de se tratar.

Assim, no término de seu tratamento após 6 meses de internação, o ex-paciente deu continuidade em seu tratamento, frequentou as terapias sugeridas e o plano de recuperação do Grupo Recuperando Vida.

Hoje, o alcoólico continua em sobriedade contínua há quase 2 anos, sem o uso do álcool, frequentemente volta na clínica para visitar os profissionais e pacientes da instituição.

Internação involuntária para alcoólatras: lei

A internação involuntária para alcoólatras é prevista pela lei 13.840/19 que prevê, entre outras coisas, a legalização deste tipo de internação, desde seja realizado da seguinte forma:

Como proceder para a internação involuntária de alcoólatras

  • O pedido de internação involuntária é realizado por um familiar do alcoólico, responsável legal;
  • Na ausência destes, o pedido pode ser feito por um servidor público da área da saúde;
  • A internação deve ser altorizada por um médico cadastrado no CRM da região do alcoólico;
  • A clínica de reabilitação deve informar todas as internações involuntárias ao Ministério Público, Defensoria Pública e outros órgãos fiscalizadores do Sisnad em 72 horas.

Além disso, os familiares do alcoólico podem interromperem a qualquer momento o tratamento involuntário do alcoólatra.

No entanto, sugerimos que a internação involuntária para alcoólatras seja considerada a última opção de tratamento e que não seja interrompida caso realizada.

Gostou do artigo? Deixe sua contribuição! Compartilhe!

Conheça o trabalho do Clínica de Recuperação para Dependentes Químicos do Grupo Recuperando Vida!