Grupo Recuperando Vida

a violencia e sua ligacao com os usuarios de drogas 1

A violência e sua ligação com os usuários de drogas

A violência e sua ligação com os usuários de drogas

Quando uma pessoa usa drogas, ela geralmente assume que terá uma experiência positiva. Ela pode presumir que a droga a fará se sentir melhor, não pior. Ela também pode pensar que, como ela teve uma experiência positiva no passado, suas futuras experiências com drogas também serão positivas. Mas a verdade sobre o uso de drogas é que é inerentemente imprevisível. Toda vez que uma pessoa usa drogas, ela corre o risco de sofrer efeitos colaterais negativos, como mudanças de comportamento. Se uma pessoa se torna mais violenta por usar uma droga, ela está colocando a si mesma e aqueles ao seu redor em grande perigo.

TIPOS DE DROGAS QUE AUMENTAM A AGRESSÃO

Como a Universidade de São Paulo explicou em estudo realizado em 2017, a violência é um dos possíveis efeitos colaterais de alguns tipos de drogas, sendo 17% dos casos de violência associados a utilização de substância químicas ou álcool. Especificamente, álcool, cocaína, anfetaminas e esteroides anabolizantes têm o maior potencial para fazer com que uma pessoa se envolva em comportamento violento. Além disso, discute as maneiras pelas quais o uso de certas drogas pode levar à agressão e ao comportamento violento. Eles explicam que algumas substâncias, como álcool, barbitúricos e benzodiazepínicos, diminuem a ansiedade de uma pessoa, o que a torna mais propensa a participar de atividades perigosas.

ESTRATÉGIAS DE REDUÇÃO DE DANOS

Como vários tipos diferentes de drogas podem levar à agressão e à violência, é melhor evitá-los completamente. Mas no caso de substâncias como o álcool, que é legal consumir, uma pessoa pode nem sempre querer se abster. Nessas situações, muitos profissionais de saúde tentam ajudar a pessoa a reduzir o dano potencial que ela pode causar a si mesma. A Canadian Pediatric Society (CPS) listou as seguintes estratégias de redução de danos que um profissional de saúde pode usar com seus pacientes:

  • Desencorajar o comportamento potencialmente prejudicial inteiramente
  • Incentive a pessoa a reduzir o comportamento sempre que possível
  • Dê à pessoa informações sobre os efeitos potenciais do comportamento, a fim de possivelmente diminuir as consequências negativas das substâncias se a pessoa se envolver com ele.
  • A CPS também explica que, para algumas pessoas, participar de entrevistas motivacionais pode ser uma boa maneira de pensar sobre as consequências potencialmente negativas do uso de drogas; lista vários exemplos de técnicas comuns de entrevista motivacional, como:
  • Perguntas abertas: “Como o uso da substância afeta a realização de seu trabalho?”.
  • Escuta reflexiva: “Parece que você está muito chateado com essa situação. Eu me pergunto se você está mais propenso a se envolver no uso de substâncias quando está chateado?”.
  • Afirmações: “Decidir não ir àquele evento soa como uma boa escolha. Pode ser difícil evitar o uso de substâncias se você for”.
  • Elicitando o discurso de mudança: “Quais são algumas das coisas que você gostaria de mudar?”.

O objetivo das estratégias de redução de danos e da entrevista motivacional é ajudar a pessoa a entender os perigos potenciais do uso de substâncias e permitir que ela minimize efeitos potencialmente prejudiciais se ela se envolver nela. Uma vez que várias drogas têm o potencial de tornar uma pessoa mais violenta, é melhor se abster completamente delas ou reduzir o possível dano relacionado a usá-las sempre que possível.

VEJA TAMBÉM:

 

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Grupo Recuperando Vida para conversarmos mais. Entre em Contatos: (19) 3427-1643

[ratings]