Grupo Recuperando Vida

tel fixo grupo recuperando vida

Clínica de Recuperação

Adiantamos que, caso você esteja procurando por uma intervenção imediata para você ou para um ente querido dependente químico, entre em contato conosco através de nossos contatos abaixo:

Entre em Contato Conosco!

A diferença entre dependência química e vício pode ser confusa para alguém de fora do contexto de uma Clinica de recuperação, pois os termos parecem bastante semelhantes. No entanto, os dois termos, embora semelhantes, têm significados diferentes.

Dependência química refere-se a um produto químico que causa dependência física. Por exemplo, a tolerância à substância ou a presença de sintomas de abstinência quando o uso da substância é retirada do indivíduo, é um exemplo de dependência química. O vício, por outro lado, pode ser definido como uma mudança de comportamento em decorrência da dependência química.

Quem está em risco e como?

Pessoas que usam remédios controlados, drogas ilegais ou bebem álcool estão suscetíveis a desenvolver dependência química e o vício geralmente se segue. 

Tanto a tolerância que desenvolveram quanto o medo dos sintomas de abstinência promovem o comportamento viciante e podem sair do controle rapidamente.

As pessoas ficarão presas em um ciclo vicioso de alimentar sua dependência física e química, enquanto constroem uma grande tolerância à substância de sua escolha. Isso também é conhecido como transtorno por uso de substâncias.

Você está lutando contra o vício?

Os efeitos colaterais da dependência também podem ser vistos como sinais de alerta para o vício. Os sintomas de vício também variam dependendo da substância da qual o indivíduo se tornou dependente. Os efeitos colaterais que são os sinais mais comuns de dependência incluem os seguintes:

  • Mentir para entes queridos e familiares
  • Ficar obsessivo com a substância (droga ou álcool)
  • Mudança severa na personalidade
  • Dificuldade para cumprir suas responsabilidades de emprego ou educação
  • Mudança clara nas prioridades Em suma, podemos definir um vício como uma necessidade de preencher sua dependência física, apesar das consequências negativas que podem estar associadas a essa ação.

As causas mais comuns para o vício são:

 

  • Genética: os vícios são condições hereditárias. A genética desempenha um papel no início do abuso de álcool e no desenvolvimento do alcoolismo. Isso significa que se seus pais ou outro parente próximo for viciado em álcool, você terá um risco maior de se tornar viciado também. O álcool, especificamente, tem uma herdabilidade de cerca de 0,55, o que significa que 55% do alcoolismo pode ser atribuído aos genes .
  • Trauma: eventos traumáticos ou experiências adversas na infância, como abuso, negligência, testemunhar violência, separação ou divórcio dos pais e transtornos de saúde mental ou abuso de substâncias dentro da casa, podem aumentar o risco de problemas de consumo e abuso de álcool por menores em idade adulta .
  • Saúde mental: o alcoolismo geralmente ocorre simultaneamente com problemas de saúde mental, como transtornos bipolares, esquizofrenia, transtorno de personalidade antissocial, transtornos de ansiedade e transtornos depressivos.

Pessoas com a possibilidade de receber ajuda médica e psicológica supervisionada tem chance muito maior de uma recuperação bem sucedida.

  • Retirada do Vício e Desintoxicação Um programa de desintoxicação de vícios permite que um indivíduo supere sua dependência física da substância em um ambiente adequado e seguro. Medicamentos, também são usados ​​em alguns casos de tratamento de abuso de substâncias, pois ajuda a aliviar os

Fatores de risco ambientais: as influências ambientais do alcoolismo incluem supervisão dos pais, colegas, pobreza, comunidade e disponibilidade de álcool.sintomas desconfortáveis ​​de abstinência. A administração do medicamento deve ser realizada sob a supervisão de um médico.

Aconselhamento para o vício

O aconselhamento enfocará o problema de dependência enfrentado pelo indivíduo e, em seguida, trabalhará com terapia comportamental e outros métodos para eliminar o uso da substância viciante.

A terapia, geralmente cognitivo – comportamental, desempenha um papel importante na busca da pessoa por uma recuperação bem-sucedida. Embora uma desintoxicação química ajude a maioria das pessoas com sua dependência física, a dependência psicológica é geralmente a mais difícil de quebrar.

Quando um indivíduo fica viciado em algo por qualquer período de tempo, torna-se difícil para ele imaginar a vida sem isso. A pessoa pode até acreditar que, sem uma determinada droga ou álcool, ela seria incapaz de funcionar adequadamente ou de se sentir normal. 

O aconselhamento para dependência química ajuda o indivíduo a entender seu vício, bem como educá-lo sobre os efeitos adversos que tem em sua vida.

Melhorar as habilidades de enfrentamento é outra estratégia, pois isso os ajudará a aprender a lidar com o estresse e os problemas em sua vida sem recorrer ao álcool ou às drogas. O terapeuta também irá educar o indivíduo sobre como compreender e evitar seus gatilhos.

Os indivíduos precisam ter clareza sobre as situações de alto risco que os tornam mais propensos a abusar da substância novamente. Saber como identificar essas situações antes que elas aconteçam e entender como lidar com elas, se forem inevitáveis, costuma ser a maior lição do aconselhamento

. Como resultado, a combinação de aconselhamento e desintoxicação profissional está atrelada a uma melhor chance para  alcançar a sobriedade e subjugar seu vício e dependência química.