Quais os efeitos que as drogas depressoras causam no usuário?

Quais os efeitos que as drogas depressoras causam no usuário?

Quais os efeitos que as drogas depressoras causam no usuário?

Drogas depressoras são aquelas que diminuem a atividade cerebral, e consequentemente, causam lentidão no funcionamento do organismo como um todo, inclusive, diminuindo batimentos cardíacos e circulação sanguínea. Nos casos mais graves, em que drogas depressoras são ingeridas em grandes quantidades, podem ocasionar o coma e até mesmo levar à morte.

Acompanhe o artigo a seguir e descubra quais drogas são depressoras e os efeitos que causam no usuário.

Quais drogas são consideradas depressoras?

Quando falamos em drogas é comum vir à mente coisas como: crack, maconha, cocaína, entre outras substâncias ilegais, não é mesmo? Entretanto, o interessante das drogas depressoras é que elas estão mais próximas do imaginamos, são de fácil acesso e nem sempre são vistas como drogas pela sociedade.

É o caso do álcool e dos remédios ansiolíticos e antidepressivos, que integram o conjunto de drogas consideradas depressoras, juntamente com a cola de sapateiro, a heroína e a morfina.

Quais os efeitos que as drogas depressoras causam no usuário?

Os efeitos causados pelas drogas variam de acordo com as formas de uso que se faz da droga, quantidade e tipo de droga, porém, o que todas têm em comum é a capacidade de levar o indivíduo a morte.

Como já mencionamos no início do texto as drogas depressoras diminuem a atividade cerebral agindo no sistema nervoso central, e ao fazer isso causam uma série de outros efeitos no organismo diminuindo suas funções, inclusive, as mais vitais.

Entre os principais efeitos causados por drogas depressoras podemos citar: sonolência, náuseas, vômito, euforia, alucinações, agressividade, dificuldade para falar e se locomover e até mesmo o estado conhecido como coma.

Síndrome da abstinência

O grande problema das drogas depressoras é que elas são altamente viciantes e podem causar dependência, que pode ser tanto física (quando o indivíduo apresenta sintomas físicos, como náuseas, tremor, entre outros), quanto psicológica (quando o indivíduo apresenta problemas como ansiedade e depressão).

Quando juntamos essa questão da dependência causada pelas drogas depressoras ao fato de que algumas delas são consideradas legais, como o álcool, que pode ser encontrado em mercados e lojas de conveniência, por exemplo, temos um grande problema: como lidar com os sintomas causados pela abstinência em meio a uma farta oferta da droga?

Procurando ajuda especializada

Diante desse cenário a melhor forma de ajudar um dependente de drogas depressoras é buscando internação e ajuda especializada. Infelizmente, boa parte dos dependentes não admite o vício e realmente percebe que não está passando dos limites; por isso, familiares e amigos devem estar sempre atentos aos sinais de dependência química e agir o quanto antes.

Vale lembrar que dependentes químicos são pessoas fragilizadas, envergonhadas e reféns do próprio vício por não suportar os sintomas cruéis da abstinência, por isso, quem está próximo não deve julgar ou se afastar, porque isso pode piorar ainda mais a situação.

A internação em clínicas de reabilitação pode parecer uma medida radical, mas para o dependente de drogas depressoras, como o álcool, é a melhor opção. Lá o paciente pode contar com uma equipe de profissionais como médicos, enfermeiros e psicólogos, prontos para encarar os sintomas da abstinência e dar todo o apoio para que o dependente seja capaz de abandonar o vício

VEJA TAMBÉM:

 

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Grupo Recuperando Vida para conversarmos mais. Entre em Contatos: (19) 3427-1643