Meu filho é viciado em remédios: e agora?

Meu filho é viciado em remédios: e agora?

Meu filho é viciado em remédios: e agora?

Nós somos uma sociedade viciada em remédios, esse é um fato que não pode ser negado. Basta observarmos os nossos próprios costumes. Uma dor de cabeça? Toma um analgésico que passa. Dor na garganta? Ouvi falar que esse remédio é ótimo, toma uma pílula e logo a dor some. Mal estar? Já ouviu falar naquele remédio? E assim por diante. Somos viciados em tratar todas as nossas dores e mal-estar com remédios manipulados.

Nós sabemos o quanto tomar remédios por conta própria pode ser perigoso para o nosso corpo, mas e quando nossos filhos começam a seguir esses passos, o que fazer?  Se você tem um filho que é viciado em remédios, continue a leitura do artigo que fizemos sobre o assunto.

Como o vício é iniciado?

Da mesma forma que citamos no início deste texto, na tentativa de amenizar dores, sejam elas físicas ou psicológicas, muitos remédios acabam atuando de forma direta em nossos sentimentos (mesmo que sua função não seja essa). E esse efeito, assim como o de qualquer droga, vai perdendo a eficácia ao longo do tempo, pois o corpo acaba “viciando”.

Assim, para conseguir sentir o falso bem-estar ou a suspensão das dores, proporcionados pelo remédio, a única maneira é ingerir outra dose e assim o vício em remédios se instaura.

Existem alguns remédios que são mais perigosos nesse sentido da automedicação e vício, são aqueles que contêm paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona, por exemplo. E por que esses remédios são viciantes? Justamente por serem os mais utilizados para combater dores, como as de cabeça e nas costas.

Como já citamos anteriormente, é preciso também ter cuidado com os remédios antidepressivos, justamente pelo efeito que causam em nosso sistema nervoso central. Muitas vezes a fórmula desses remédios torna o indivíduo mais propenso ao vício.

Seu filho está viciado em remédios? Saiba como ajudá-lo

Se você já conseguiu diagnosticar que seu filho está viciado em remédios, mas não sabe como ajudá-lo, saiba que a primeira coisa a ser feita é procurar por um profissional. O tratamento para uma pessoa viciada em remédios é o mesmo ministrado a um indivíduo viciado em drogas, portanto, só pode ser feito por um médico especializado no assunto.

Caso se faça necessário, o dependente de remédios poderá até mesmo ser internado para passar por um processo que desintoxique seu corpo das substâncias medicamentosas. Além do médico que fará esse tratamento, é indispensável que ele conte também com um acompanhamento psicológico, feito por psiquiatras e psicólogos.

O vício em remédios é uma doença, e precisa ser tratada como tal. Portanto, se você já detectou esse problema em seu filho, não hesite em buscar ajuda de um profissional. E para além do vício em si, devemos estar sempre alertas à automedicação, pois ela representa um grande risco para qualquer pessoa que ingira remédios que não foram prescritos por um médico.

Você ficou com alguma dúvida sobre como ajudar o seu filho que desenvolveu o vício em remédios? Esperamos poder ter ajudado com este texto!

VEJA TAMBÉM:

 

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Grupo Recuperando Vida para conversarmos mais. Entre em Contatos: (19) 3427-1643

[ratings]