Grupo Recuperando Vida

Preconceito e desinformação dificultam combate ao alcoolismo

Preconceito e desinformação dificultam combate ao alcoolismo.

Preconceito e desinformação dificultam combate ao alcoolismo não é falta de vergonha na cara, tampouco falta de caráter. É um problema crônico, que necessita de tratamento constante. Fatores como o preconceito e a desinformação só atrapalham e dificultam a recuperação do paciente. Saiba porque o apoio de familiares e amigos é tão fundamental no processo de superação.

Alcoolismo é doença?

Beber é cultural. A maioria dos eventos sociais como aniversários, casamentos, formaturas e até um simples jantar na casa de amigos, normalmente, é regada a bebidas alcóolicas. Um vinho, uma cerveja ou um champanhe faz parte da comemoração e deixa as pessoas mais soltas e alegres.

Porém, a diferença é que quem não sofre de alcoolismo para de beber depois de poucas doses. Já o alcoólatra sente uma necessidade incontrolável de continuar bebendo. Ou seja, ele não consegue parar. O principal sintoma é a dificuldade de controlar o consumo. Além disso, quanto mais o tempo passa, mais doses serão necessárias para satisfazer o desejo do alcoólatra. E surge ainda outro sinal, como a abstinência. Ao passar muitas horas sem ingerir nenhum tipo de bebida alcoólica, o dependente começa a sentir-se ansioso, irritado e com dificuldade de concentração.

Também é muito comum o fato da pessoa deixar de pagar contas para comprar bebidas. Ou seja, o endividamento é considerado um sintoma típico de quem sofre de alcoolismo. Portanto, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), alcoolismo é uma dependência química crônica, que necessita de atenção e tratamento, assim como qualquer outra doença.

Como funciona o tratamento?

Ao reconhecer qualquer um dos sintomas, é de extrema importância buscar ajuda. Existem diversos grupos de ajuda – como o AA, Alcoólatras Anônimos – onde os próprios dependentes se ajudam por meio de relatos de experiência.

Porém, o acompanhamento psicológico também é indispensável. É importante descobrir a causa da dependência e tratá-la. Muitos ainda necessitam do acompanhamento de um psiquiatra para curar outros transtornos, como ansiedade e depressão.

Porém, em muitos casos, a internação em clínicas de recuperação pode ser a opção mais eficaz. Nesses locais, o dependente normalmente passa por um processo de desintoxicação e recebe um acompanhamento diário de psicólogos e médicos. Ele aprende a lidar com a abstinência e a enfrentar o seu vício.

Por que o apoio de pessoas próximas é tão importante?

Como o alcoolismo é uma doença crônica, o dependente químico nunca será curado, ele passará a vida toda em constante recuperação. Para evitar recaídas, é indispensável o apoio das pessoas que o cercam, como familiares e amigos. A sociedade precisa ter consciência do que é a doença, respeitar e dar apoio. Assim como acontece com qualquer outra doença crônica.

Muitas vezes, é indicado que a própria família busque orientação psicológica para entender e aprender a lidar com o dependente. Para isso, existe a Orientação ou Aconselhamento Familiar, um acompanhamento específico para quem convive com o paciente, ou ainda terapias e grupos de ajuda direcionada para os familiares.

O apoio das pessoas próximas é tão importante quanto o próprio tratamento. O paciente precisa saber que é aceito e receber ajuda para estabelecer um novo estilo de vida, longe do álcool. Portanto, a superação do preconceito e a busca por informações por parte da família é o segredo para o processo de superação do dependente químico.

 

 

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Grupo Recuperando Vida para conversarmos mais. Entre em Contatos: (19) 3427-1643

 

67 / 100
Open chat
Grupo Recuperando Vida Olá! Como posso ajudar?