Grupo Recuperando Vida

5 Sinais para Reconhecer a Doença

5 Sinais para Reconhecer a Doença

5 Sinais para Reconhecer a Doença pessoas que faz o uso de  bebidas alcoólicas socialmente é um hábito comum em qualquer lugar do mundo. Mas o uso contínuo pode representar sérios riscos à saúde, uma vez que pode causar dependência, o que conhecemos como: alcoolismo.

O alcoolismo ou etilismo é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma patologia com sintomas que afetam a saúde física e mental das pessoas. Apesar de ser uma doença psíquica, ela também tem consequências fisiológicas bastante nocivas ao corpo humano.

Mas qual seria o limite para saber se esse hábito social se tornou uma doença? Como tratar? Onde buscar ajuda? Nesse artigo, nós apresentamos algumas respostas para esses questionamentos.

Cuidado com o consumo diário

As estatísticas apontam que os homens possuem 10% de risco de desenvolver o alcoolismo, já entre as mulheres esse índice não chega a 5%. Mas fatores como histórico familiar, problemas com depressão e outros fatores que afetam a saúde mental podem aumentar e muito essa predisposição.

Dentre elas, a ingestão diária de álcool. Quando isso se torna um hábito é preciso ligar o sinal de alerta, sobretudo quando se começa a buscar o álcool como fuga dos problemas e da rotina desgastante.

Ingestão compulsiva

Quando se começa a beber rotineiramente e com quantidades cada vez maiores é um sinal de compulsão. Nesse grau, a pessoas buscam a bebida como único recurso para suprir todas as emoções sentidas, alegria, tristeza, raiva e cada vez o álcool ganha mais espaço compromete outros aspectos da vida.

Na ingestão compulsiva a pessoa tem noção dos males que essa ingestão lhe traz, mas mesmo assim a faz de forma contínua, sem dar muita importância para as consequências.

O álcool já não embriaga mais

Com o passar do tempo a pessoa vai ficando cada vez mais resistente ao álcool. O que antes era uma quantidade suficiente para não conseguir mais se equilibrar, a longo prazo, começa a não causar muitos efeitos e essa falsa sensação de estar mais forte, estimula ainda mais o consumo alcoólico.

A busca pelo estado de embriaguez, ou qualquer outro estagio de letargia, se torna cada vez mais intenso, e a tendência é beber cada vez mais. Um caminho bem curto para a dependência.

Sintomas de abstinência

Com o passar do tempo o consumo de álcool começa a apresentar sintomas como ansiedade, tremores, agitação e insônia, entre outros sintomas que afetam principalmente as capacidades psicomotoras do paciente.

Essa já é uma fase bastante avançada e requer cuidados específicos com profissionais que cuidam da saúde mental.

Prejuízos à vida social

Umas das faces mais devastadoras são os efeitos sociais que o álcool causa à vida da pessoa dependente. Com o consumo cada vez maior é muito comum a pessoa começar a destruir os laços familiares, profissionais e sociais, se isolando cada vez mais e afundando em mais e mais bebida.

Esse é o momento onde uma intervenção especializada é uma questão de necessidade. Pois dificilmente o dependente vai ter a iniciativa de buscar ajuda.

Conheça mais sobre diagnóstico e tratamento do alcoolismo

O grupo Recuperando vida atua no tratamento de dependência química (álcool/drogas), reabilitando pacientes por meio de tratamentos humanizados que trabalham aspectos físicos, psicológicos e espirituais.

 

72 / 100
Open chat
Grupo Recuperando Vida Olá! Como posso ajudar?